E se o desejo mudar?

 

Muitos casais se veem perdidos com o tempo da relação. Mas, se perdem mesmo é no desejo entre eles. E quando esse desejo vai embora, junto com ele vai um monte de sonhos e a vontade em comum, que não mais são compartilhadas.

Cada pessoa tem seu tempo. Tempo de amar, de desejar, de esperar e de sonhar. Mas, o que poucos conseguem é fazer com que esse tempo seja o tempo do outro também. O tempo do casal tem que ser partilhado, assim como os desejos e os sonhos em comum. E muitas vezes, perde-se para ganhar. Ganhar a dois. Porque numa relação um só nunca ganha. A relação que tem equilíbrio e parceria, os dois sempre ganham. Há sincronicidade!

Muitos me questionam sobre a sexualidade e até onde é saudável ou não se manter o desejo pelo outro. Mas, percebo a inquietude e a angústia de muitos casais quando o assunto é: falta ou mudança do desejo sexual.

A falta de desejo, muitas vezes, está relacionada ao vínculo de admiração e afetividade que você tem pelo outro. A pergunta chave que fazemos é: O que essa pessoa representa em sua vida hoje? O silêncio impera nesse momento. E a pessoa é levada a refletir sobre os papeis sociais e representativos que o outro exerce nas nossas vidas. Papeis que há tempo já deixaram de existir.

Sexo com afetividade é fundamental e essencial. Mostrar para você mesmo que é importante viver sem culpas e lembrar que o termômetro da longevidade do tesão sexual é o afeto, permitindo que a sexualidade seja também sensibilidade vivida em parceria e sintonia.

O bom sexo é feito a dois, mesmo quando se é feito sozinho. Porque muitos casais fazem sexo, porém solitários. A afetividade, o envolvimento e o encantamento são os ingredientes fundamentais para o tesão e a magia do sexo funcionarem com plenitude e prazer. E assim, manter uma longevidade na paixão afetiva e no desejo mútuo.

Arnaldo Jabor nos disse certa vez: “O amor sonha com a pureza, sexo precisa do pecado, o amor é sonho dos solteiros, sexo é sonho dos casados”. Eu completaria, mas, me perdoe Jabor, precisamos mesmo é de romantizar mais o sexo e erotizar mais o amor. Assim, fazê-los andar de mãos dadas, lado a lado, numa única relação!!!


Por: Karina Simões

Siga-me no Twitter: @Psicronicidade